Cimento 5/06/2018  

A importância do desmoldante para a etapa de concretagem

O desmoldante é um líquido que cria uma fina camada oleosa entre as fôrmas e o concreto para impedir qualquer aderência de outros materiais entre os dois e a sua utilização ajuda a desenformar o concreto com facilidade. Saiba mais sobre as funções do desmoldante no nosso artigo.

O desmoldante é um líquido que cria uma fina camada oleosa entre as fôrmas e o concreto, ajudando a desenformá-lo com facilidade. Fonte: shutterstock

O desmoldante começou a ser utilizado em obras na década de 1940, mas trouxe vários problemas para as estruturas de construções. Quatro décadas depois, o desenvolvimento da tecnologia possibilitou um produto capaz de oferecer vantagens a longo prazo. Por causa disso, hoje o desmoldante é frequentemente empregado na concretagem e é um elemento vital para esse processo. Entenda o porquê no artigo de hoje.

O que é desmoldante? 

Desmoldantes são produtos líquidos que criam uma fina camada oleosa entre as fôrmas e o concreto. Isso impede qualquer aderência entre ambos e ajuda a desenformar o concreto com facilidade. Fazendo uma analogia, o desmoldante funciona como a manteiga usada para untar a assadeira e garantir que o bolo não ficará grudado na fôrma. Mesmo estando em contato direto com o concreto, o desmoldante não se mistura com ele, o que evita contaminações na estrutura.

O uso correto dos desmoldantes também permite uma melhor aparência final ao concreto, eliminando as chances de fissuras decorrentes de uma desforma ruim. Além disso, o produto maximiza o reaproveitamento dos moldes, sejam eles metálicos ou de madeira.

Aplicação do desmoldante 

Em obras menores, o desmoldante é normalmente aplicado com rolo ou pincéis e broxas. Fonte: shutterstock

Existem dois tipos de desmoldantes de bases mineral, vegetal ou animal: os que são óleos puros e os que são óleos emulsionados com água. Os primeiros são adequados para uso em fôrmas de metal, plástico e madeira; já as emulsões devem ser aplicadas apenas nos moldes de madeira ou plástico, pois no de metal podem ocorrer oxidações. Quanto mais impermeável e lisa for a superfície da fôrma, menor será a quantidade necessária de desmoldante.

Uma informação importante a ser observada é o ponto de fulgor do desmoldante, ou seja, a temperatura mais baixa na qual o composto se vaporiza. Dependendo da temperatura ambiente, um desmoldante simplesmente se transforma em vapor, comprometendo seu desempenho. Por isso, os fabricantes devem ser consultados antes da sua aquisição.

Em obras maiores, sua aplicação é feita diretamente sobre os moldes com o auxílio do pulverizador, equipamento que tem uma mangueira com gatilho na ponta por onde passa o produto. Já em obras de pequeno porte, a aplicação é realizada com pincéis, broxas e rolos.

O desmoldante borrifado tende a formar uma película muito mais regular. Já o pincel e a broxa criam camadas menos uniformes, mas são úteis quando as aplicações são mais localizadas.

Após aplicar o desmoldante, recomenda-se esperar uma hora antes de começar a concretagem. Se o produto for colocado nos moldes muito antes do lançamento do concreto, a poeira pode ficar presa nas paredes da peça, possibilitando o surgimento de fissuras na superfície finalizada.

Cuidados que devem ser tomados 

A remoção correta do desmoldante é essencial para que a finalização do serviço fique bem feita.

A remoção correta do desmoldante é essencial para que a finalização do serviço fique bem feita.

Ao fim da concretagem, é necessário eliminar os resíduos do desmoldante que ficaram presos ao concreto e podem prejudicar sua hidratação e aderência a revestimentos. Essa remoção deve ser feita das seguintes maneiras:

  • mecanicamente (jato de areia seca ou úmida ou jato de água quente em alta pressão);
  • quimicamente (escovamento com água e detergente e lavagem posterior com água ou ar em alta pressão);
  • apicoamento (uso de martelo de pregos ou pistola de agulhas e lavagem posterior com água ou ar em alta pressão). p

Para verificar se todo o desmoldante foi retirado, basta jogar um pouco de água sobre a superfície da estrutura e conferir se o líquido é absorvido. Em caso negativo, novas limpezas devem ser feitas.

É importante destacar também que o óleo diesel nunca deve ser usado no lugar do desmoldante. Essa prática é proibida pela legislação brasileira e ainda pode agredir o meio ambiente.

Quando empregado corretamente, o desmoldante é um produto bastante útil para as construções. Já teve a chance de trabalhar com ele? Deixe sua experiência nos comentários!