Cimento 5/02/2018  

O que é traço de concreto e como ele influencia na concretagem

Quem tem costume com receitas culinárias sabe: qualquer elemento a mais ou a menos é capaz de alterar o sabor de um prato. As quantidades exatas e a ordem dos produtos que serão misturados devem ser respeitadas para que não haja surpresa depois. A mesma lógica pode ser aplicada quando lidamos com traço de concreto, afinal, a forma como a massa é preparada pode influenciar na concretagem de uma obra. Quer saber mais? Confira abaixo.

O que é traço de concreto?

O traço nada mais é do que a indicação da quantidade dos materiais que constituem o concreto. Ele mostra a quantidade de areia e de brita que devem ser usadas na mistura para uma unidade de cimento. Um traço de 1:2:3, por exemplo, indica que a proporção será de 1 parte de cimento por 2 partes de areia e 3 partes de brita, sempre obedecendo essa ordem. Já a quantidade correta de água varia porque depende da umidade da areia e da trabalhabilidade final do concreto.

dupla de pedreiros usando EPIs no campo de obra derrubando cimento da betoneira fazendo concretagem

O traço de concreto é muito importante para a obra e mostra a quantidade de areia e brita que devem ser usadas na mistura para uma parte de cimento.

Em uma obra, a dosagem do concreto pode ser feita de forma prática ou racional. O primeiro modo é medido em volume e baseia-se apenas na experiência do profissional técnico. Por isso, é indicado para concretos de resistência moderada que serão empregados principalmente em pequenas construções.
Já a dosagem racional, medida em massa, é exercida por concreteiras especializadas que atendem obras de médio a grande porte. A mistura é feita com rigor para seguir uma série de especificações simultaneamente.

A importância da dosagem

O traço deve ser respeitado à risca porque é justamente a proporção entre seus materiais que garantirá certas características fundamentais ao concreto, como resistência, durabilidade e trabalhabilidade. Se isso não acontece corretamente, toda a segurança de uma estrutura pode ser comprometida.

Assim como existem diferentes tipos de concreto ideais para cada obra, também existem diversos tipos de traço. A proporção muda de acordo com o fim: lajes, contrapisos, muros, fundações, calçadas, vigas etc. Isto é: tudo dependerá dos objetivos para a construção e das particularidades que ela apresenta.

bacia com cimento com água sendo jogada na mistura para fazer concreto junto à enxada de pedreiro

A quantidade de água na mistura é muito importante, e seu excesso ou falta podem prejudicar o concreto.

A água, por exemplo, é um elemento indispensável para formar os cristais sólidos que tornam o concreto resistente. Além disso, ela deixa a massa com um aspecto plástico que permite seu transporte e aplicação nas fôrmas com facilidade. Porém, tanto seu excesso quanto sua falta podem prejudicar o concreto.

Quando ela é adicionada além do recomendado, cria vazios que deixa o concreto bem menos resistente, possibilitando o aparecimento de fissuras. Por outro lado, água de menos provoca falhas de concretagem por dificultar os processos de lançamento e adensamento.

Obs.: considerando agregados secos e latas de 18 litros.

A falta de cura e a exposição excessiva do concreto ao sol ou calor também devem ser levadas em conta, pois são capazes de alterar a quantidade de água na mistura. Além disso, é fundamental que a água a ser adicionada seja limpa, clara e sem impurezas, já que algumas substâncias (como o sal) são inimigas do concreto armado.

Outros componentes que merecem atenção são os agregados miúdos (areia) e graúdos (brita). Quanto mais finos eles forem, maior será a resistência do concreto à compressão. No entanto, a trabalhabilidade tende a diminuir. Uma boa dica é usar agregados de granulometria controlada e misturá-los para que os menores envolvam os maiores sem deixar vazios. Lembre-se de usar apenas areia e britas limpas, isto é, sem argila, barro ou materiais orgânicos, como raízes, folhas e gravetos.

dupla de pedreiros usando EPIs no campo de obra derrubando cimento da betoneira fazendo concretagem

Existe uma ordem definida para combinar os materiais na mistura de concreto, seja o processo manual ou feito em betoneira.

Quando as proporções forem definidas, é preciso ter cuidado com a ordem certa de combinar os materiais. Se o processo for manual, deve-se juntar o cimento à areia e misturar bem antes de adicionar a brita. Só depois disso é que a água pode ser colocada, lentamente. Se o concreto for feito em betoneira, a sequência deve ser: brita (para limpar resíduos de misturas anteriores), uma parte da água (que limpa a brita e aumenta sua aderência à massa), cimento, outra parte da outra parte da água, areia e a parte final da água. Se possível, utilize aditivos plastificantes que diminuem a quantidade de água de amassamento e melhoram a trabalhabilidade do concreto. Caso essa mistura seja muito demorada, o concreto perde a trabalhabilidade, sofre segregação e não fica uniforme; se for rápida demais, a mistura fica mal feita, a massa aquece e as reações do cimento são aceleradas.

Como você pôde perceber, o traço de concreto é crucial para que uma obra seja concluída de acordo com o que foi definido no planejamento. Gostou do nosso artigo? Então deixe seu comentário!